Memórias Póstumas de Brás Cubas

Marcos Damigo vive um Brás Cubas bem-humorado, irreverente, egoísta e amoral. Com uma narrativa não linear e fiel à obra original de Machado de Assis, o personagem dialoga com a plateia, canta, dança, discorre sobre seus envolvimentos amorosos e episódios de sua vida enquanto passeia pelas agruras da sociedade de seu tempo.

A adaptação e direção é da atriz, diretora teatral e professora de teatro, Regina Galdino. Como atriz eternizou-se no teatro na peça Porca Miséria de 1993, que bateu records de público. No cinema atuou na comédia Alô?! de 1998. Sua carreira como diretora começou em 1994 e ao longo destes mais de 20 anos, dirigiu aproximadamente 20 peças.

Memórias Póstumas de Brás Cubas e o autor

A obra literária Memórias Póstumas de Brás Cubas, é de Machado de Assis. O romance foi publicado como livro pela primeira vez em 1881, mas escrito e lançado como folhetim, entre março e dezembro de 1880, na Revista Brasileira. Este livro marca a mudança de tom no estilo do autor: irônico, cáustico e indiferente, Machado retrata a sociedade do Rio de Janeiro na época. Não é somente uma obra de suma relevância cultural e patrimônio histórico brasileiro, é também filosófica e crítica social, além de um dos livros mais inovadores da literatura brasileira. No exterior o livro foi publicado 26 vezes em 12 idiomas, entre 1911 e 2001. No cinema brasileiro a estória de Brás Cubas foi filmada 3 vezes entre as décadas de 60 e 90.

Joaquim Maria Machado de Assis nasceu no Rio de Janeiro em junho de 1839. Sua obra é composta por 10 romances, 5 coletâneas de poesias, 7 coletâneas de contos, 10 peças de teatro, 27 contos selecionados, 1 tradução e 14 obras póstumas, todos no período entre 1872 e 1908. Foi Presidente da Academia Brasileira de Letras de 1897 até 1908. Na crítica especializada é considerado por alguns um dos maiores escritores brasileiros da história, por outros o maior. Faleceu em setembro de 1908.

A peça não é recomendada para menores de 14 anos.

Maiores informações e ingressos no site do Teatro Sérgio Cardoso.

Para saber mais sobre teatro continue neste site.

Ricardo Luiz Roveran

Aquariano, 36 anos, eterno e apaixonado estudante de filosofia, amante de ciências, escritor, crítico de cinema, literatura e música. Cristão e conservador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

>
%d blogueiros gostam disto: